Menu

A Árvore é Mãe, é Vida: 23 anos da Misericórdia de Loures

A Árvore é Mãe, é Vida: 23 anos da Misericórdia de Loures

Para comemorar os 23 anos da Santa Casa da Misericórdia de Loures e acompanhar a evolução e o alargamento dos seus projetos junto da comunidade, foi plantada no Jardim Major Rosa Bastos, a poucos metros da Sede, uma Melia Azedarach (Cinamomo) no dia 8 de junho de 2020, pelas 09h30 da manhã, na presença do Provedor Duarte Nuno Morgado, da D. Cristina Capitão em representação da Junta de Freguesia de Loures, que cedeu o espaço para que tal ato acontecesse e ofereceu aquela árvore; em representação dos Irmãos Fundadores esteve presente a Irmã Ana Cristina Casaca bem como Colaboradores e Irmãos, desta que é uma das Misericórdias mais novas do País. 

Símbolo da vida em perpétua evolução, sempre rumando para o céu (tal como a Santa Casa), a árvore evoca todo o simbolismo da verticalidade. Morte e regeneração. Sobretudo a folhagem evoca um ciclo, ela que morre e renasce todos os anos. Nela tudo é símbolo: 

o subterrâneo através das raízes que avançam em profundidade; a superfície da terra que é simbolizada pelo seu tronco e primeiros ramos; a altura representada pelos ramos superiores e as suas folhas atraídas pela luz do Céu. A árvore reúne todos os elementos: a água que circula na sua seiva; a terra que integra o seu corpo através das raízes, o ar que alimenta as suas folhas e o fogo que aproveita todas as folhas, os galhos e ramos secos. 

Toda esta simbologia ajuda-nos a representar a Misericórdia de Loures como um projeto que já tem raízes, mas necessita da ajuda de todos para continuar a crescer e assim estar cada vez mais perto dos que dela necessitam. 

 

Saliente-se que esta árvore foi plantada numa época em que atravessamos uma grande pandemia - o SAR- S-Cov-2, em que cada vez mais famílias estão a ficar sem emprego e vão surgindo novos carenciados de bens de primeira necessidade e a necessitarem do apoio da Santa Casa da Misericórdia de Loures. Por isso mesmo, tal com esta árvore, também a Misericórdia continuará a cumprir a sua missão sendo sinal de vida para todos. 

Maria Helena Almeida,

Irmã e Voluntária

Próxima

notícia